28/01/2013

Maioria dos consumidores dos EUA assiste TV e acessa a Internet ao mesmo tempo

Segundo estudo, o crescimento de consumidores centrados nos dispositivos móveis está direcionando o comportamento.

Estudo da KPMG analisou transição digital. Foto: Reprodução / KPMGRIO DE JANEIRO (Da Redação, com PRNewswire), 28 de janeiro – Cerca de 60% dos consumidores dos Estados Unidos ainda preferem assistir a programação de vídeo e shows favoritos nas TVs, mas também querem ter os smartphones e tablets ao lado de modo a estarem online e serem multitarefa. A constatação é de um novo estudo da empresa de pesquisa KPMG, que consultou mais de mil consumidores nos país e nove mil no mundo.

De acordo com a pesquisa KPMG International 2013 Digital Debate, 42% dos consumidores pesquisados nos Estados Unidos disseram que assistem TV e acessam a Internet por laptop ou PC, enquanto 17% por smartphone. O estudo concluiu também que 22% assistem TV e usam sites de rede social ao mesmo tempo.

Enquanto a mídia tradicional ainda é a mais popular entre os consumidores para assistir a programação televisiva, o estudo revelou que 14% dos consultados nos Estados Unidos preferem assistir TV a partir de celulares ou tablets pela maior flexibilidade. Para o levantamento, isto é atribuído em grande parte à onda emergente de consumidores centrados nos dispositivos móveis (25-34 anos).

Para Paul Wissmann, chefe nacional de Prática de Mídia e Telecomunicações da KPMG dos Estados Unidos, estamos vivenciando o início de uma grande transição. “A mudança para o digital tem tido um impacto dramático sobre como consumimos música, publicações e jornais. Mas ainda estamos no início do processo de uma transição para a disponibilidade do digital a qualquer hora e em qualquer em todos os setores da mídia”, diz.

O estudo não deixou de citar as smart TVs, televisões que permitem o acesso à Internet e a instalação de aplicativos. “A introdução de smart TVs é um indicador de como a transição digital está acelerando para coincidir com a demanda dos consumidores de hoje de acessar qualquer coisa, em qualquer lugar e em qualquer momento. A smart TV está começando a se revelar como o próximo disruptor”, acredita Wissmann.

A pesquisa, encomendada pela KPMG International e conduzida pela YouGov, obteve opiniões de nove mil consumidores da Alemanha, Austrália, Brasil, Canadá, China, Cingapura, Espanha, Estados Unidos e Reino Unido. O estudo buscou mensurar o impacto atual dos conteúdos digital e tradicional. JW.

ALGUMAS CONCLUSÕES DO ESTUDO

Nos Estados Unidos:

- 40% possuem ou pretendem comprar um smartphone nos próximos 12 meses, comparado a 53% em nível mundial;

- 26% possuem ou pretendem comprar um tablet nos próximos 12 meses, que é o mesmo percentual global;

- Gastos com a mídia online aumentaram no ano passado. Em cada tipo de mídia digital, os entrevistados mais aumentaram seus gastos que os diminuíram;

- Gastos com mídia tradicional ainda são fortes nos Estados Unidos, especialmente com TV.

Mundialmente:

- Consumidores urbanos no Brasil, na China e em Cingapura estão provando serem os usuários de mídia digital mais vorazes do mundo, alimentados pela rápida adoção do mobile;

- A nova geração de consumidores centrados nos dispositivos móveis está tendo sua primeira experiência de mídia a partir desses aparelhos. Este crescente segmento tem uma preferência muito maior pela mídia digital, e a vinda da próxima geração de redes móveis de alta velocidade provavelmente vai acelerar essa tendência;

- Consumidores em todos os mercados gastam uma quantidade similar de tempo acessando tanto o meio online, quanto a mídia tradicional;

Mario CavalcantiMaioria dos consumidores dos EUA assiste TV e acessa a Internet ao mesmo tempo