09/02/2012

China quebra o anonimato em portais e redes sociais

Usuários do país asiático deverão divulgar seus nomes verdadeiros até 16 de março.

Mapa da China / Arte / JWRIO DE JANEIRO (Da Redação), 9 de fevereiro – O governo de Pequim estipulou a data de 16 de março para que usuários do site Weibo – um serviço chinês de microblogging similar ao Twitter – passem a utilizar seus verdadeiros nomes. A informação é da agência de notícias Efe.

A medida fere ainda mais a liberdade dos cidadãos no país asiático, que tem uma das censuras mais rídigas do planeta. Portais como Sina e Sohu, dois dos mais populares da China, começaram a divulgar a nova regulamentação aos usuários de suas redes sociais. Além disso, os sites se viram obrigados a advertir que, no futuro, quem não completar seus dados reais nas contas e páginas de perfis não terá acesso a todo o conteúdo disponível.

O novo regulamento permite que antigos usuários, após registrarem seus nomes completos, continuem com seus pseudônimos. Empresas e organizações terão que fornecer seus números de registro e demais informações. Um usuário identificado como Fardece publicou uma mensagem estimulando as pessoas a escreverem e transmitirem o que quiserem até 16 de março. “O tempo de um país com liberdade está se esgotando”, diz.

O desejo dos dirigentes chineses de censurar internautas não é recente. Em 2006, o governo da China já planejava a criação de uma lei para obrigar autores de blogs a divulgarem nomes, números de identidade e assinaturas reais. JW.

Mario CavalcantiChina quebra o anonimato em portais e redes sociais