Mario Cavalcanti
por — 08/07/2011 em Notícias

AP não quer funcionários opinando no Twitter

Medida pretende evitar que os jornalistas prejudiquem a reputação da companhia

DivulgaçãoRIO DE JANEIRO (Da Redação), 8 de julho – Pouco tempo após a BBC anunciar que planeja um contrato para restringir o uso do Twitter por parte de seus funcionários, a agência de notícias Associated Press (AP) está tomando medidas para evitar que seus jornalistas comentem fatos atuais e opinem nas redes sociais, especialmente no Twitter.

O vice-diretor da companhia, Tom Kent, enviou um email aos funcionários solicitando que não comentem no Twitter, por exemplo, as polêmicas sobre o senado de Nova York, que recentemente aprovou o casamento entre pessoas do mesmo sexo no estado, ou do julgamento da americana Casey Anthony, de 25 anos, condenada a quatro anos de prisão por mentir para a polícia da Flórida no caso do desaparecimento e da morte de sua filha Caylee, de dois anos. A medida está sendo tomada porque, segundo o executivo, tais comentários podem comprometer a reputação da AP e, sobretudo, dos colegas que fizeram uma cobertura imparcial e completa dos acontecimentos.

Entre os princípios que fazem parte do livro de estilo da AP, se estabelece que qualquer jornalista da agência deve estar consciente de que seus comentários podem afetar a reputação da empresa. Isso se aplicaria também às redes sociais, a partir do momento em que são um importante meio de difusão de informação. Ainda de acordo com Kent, qualquer
infração das normas da agência podem resultar em medidas disciplinares. JW.

Com informações de agências e do site do Poynter Institute.

Mario CavalcantiAP não quer funcionários opinando no Twitter