Mario Cavalcanti
por — 27/06/2011 em Notícias

Estratégia do Guardian deve gerar muitos cortes

Tradicional jornal britânico decidiu recentemente dar prioridade ao meio digital

DivulgaçãoRIO DE JANEIRO (Da Redação), 27 de junho – Em entrevista a um programa da BBC Radio 4, o editor do jornal britânico The Guardian, Alan Rusbridger, falou sobre a recente decisão do veículo de dar prioridade ao meio digital. Segundo o executivo, a nova estratégia pode resultar no corte de um número significante de funcionários.

Para Rusbridger, a queda de lucros e de leitores da edição impressa está alinhada com o desenvolvimento da indústria no geral. Ele descreveu a nova estratégia como uma resposta a um momento pré-crise, uma mudança de curso antes que o diário seja forçado a fazer seguidos cortes editoriais, dando frutos a um jornal de baixa qualidade. “Você não quer entrar em uma espiral de declínio que já foi vista em muitos jornais americanos”, diz.

Parte das novas ações envolve valorizar os jornalistas multimídia e de mobile. Além disso, o jornal está se preparando para contratar mais desenvolvedores e outros profissionais com experiência em notícias digitais. Sobre as mudanças editoriais, Rusbridger acredita que o veículo não poderá manter tantas pessoas no futuro como acontece agora. “Nós vamos precisar perder um significativo número, mas não precisamos fazer isso amanhã. Podemos fazer isso nos próximos anos e termos uma conversa civilizada sobre [toda a situação]”, comentou.

Incluindo o jornal The Observer, o The Guardian emprega atualmente 630 jornalistas. JW.

Com informações da BBC e do Editors Weblog.

Mario CavalcantiEstratégia do Guardian deve gerar muitos cortes