Mario Cavalcanti
por — 11/02/2011 em Notícias

Mundo ainda estaria longe de um limite da informação

Segundo estudo, volume gerado pelo homem ainda é pequeno perto da natureza

Flickr

SÃO PAULO (Agência Fapesp), 11 de fevereiro – Dezenas de jornais e revistas, centenas de canais de televisão, milhares de sites com milhões de páginas na Internet e bilhões de chamadas e de mensagens em redes sociais transitando por computadores, celulares e outros dispositivos eletrônicos.

Informação demais? Longe disso, por mais incrível que pareça. Segundo artigo publicado nesta sexta-feira (11) no site da revista Science, o mundo não está nem perto de um eventual limite, pelo menos do ponto de vista tecnológico, para lidar com dados digitais.

Os autores do estudo, Martin Hilbert e Priscila López, da Universidade do Sul da Califórnia, nos Estados Unidos, calcularam a capacidade mundial para armazenamento, processamento e comunicação de informações a partir da análise de tecnologias analógicas e digitais disponíveis de 1986 a 2007.

Os resultados incluem números grandiosos. Em 2007, a humanidade era capaz de lidar com 295 exabytes de dados (ou 2,95 vezes 10 elevado a 20). Para se ter uma ideia, se cada estrela no Universo fosse um único bit de dado, haveria uma galáxia de informações para cada pessoa no mundo. Parece muito, mas depende da comparação, pois se trata de menos de 1% da informação armazenada em todas as moléculas de DNA de um ser humano.

INÍCIO DA ERA DIGITAL

O estudo observou que 2002 pode ser considerado o início da era digital, pois foi o primeiro ano em que a capacidade de armazenamento digital de dados superou a analógica. Em 2007, quase 94% da informação produzida pelo homem estava em formato digital.

Em 2007, a humanidade transmitiu 1,9 zetabytes de dados por meio de tecnologias de transmissão de sistemas como televisão e GPS, o que equivale a 174 jornais por dia para cada habitante do planeta. No mesmo ano, a comunicação bidirecional, como telefones, foi responsável pela troca de 65 exabytes de dados, equivalente a 6 jornais por pessoa por dia.

CRESCIMENTO ESPANTOSO, MAS AINDA PEQUENO PERTO DA NATUREZA

Todos os computadores existentes no mundo em 2007 foram responsáveis pelo processamento de 6,4 vezes 10 elevado a 18 instruções por segundo. Para processar tal ordem de magnitude à mão seriam precisos 2,2 mil vezes o período desde o Big Bang. Os autores estimaram que, de 1986 a 2007, a capacidade de computação mundial cresceu 58% ao ano, enquanto as telecomunicações cresceram 28% e a capacidade de armazenamento, 23%.

"São números impressionantes, mas ainda minúsculos quando comparados com a ordem de magnitude na qual a natureza lida com informações. Entretanto, enquanto o mundo natural é fascinante em sua dimensão, ele permanece relativamente constante. Por outro lado, as capacidades tecnológicas de processamento da informação no mundo crescem em valores exponenciais", disse Hilbert.

O artigo The World's Technological Capacity to Store, Communicate and Compute Information pode ser lido por assinantes da Science no site oficial da publicação.

Mario CavalcantiMundo ainda estaria longe de um limite da informação