Mario Cavalcanti
por — 13/06/2001 em Artigos

Phantom label – ou como prever o futuro

Sites crescem, mudam, se transformam, e a arquitetura de uma página tem a obrigação de acompanhar o novo cenário.

Por (@mariocavalcanti)

Em Arquitetura da Informação, mais importante que pensar no agora é planejar o futuro – em outras palavras, no que não existe. Como assim? Simples: um bom site é pensado, planejado e desenvolvido para abrigar, de maneira organizada e engenhosa, toda a informação sobre um determinado tema, seja ele um serviço, um produto, uma empresa. Mas os sites crescem, mudam, se transformam, e a arquitetura de uma página tem obrigação de acompanhar o novo cenário.

Na maioria das vezes, porém, sites nascem e adquirem vida própria, e aquele que foi o seu projeto de estimação nos últimos três meses esvai-se na mesa de trabalho e dá lugar a outro. Como acompanhar, então, seu velho amigo, garantindo que a mesma eficiência que você embutiu na arquitetura do site possa se desdobrar em novas páginas, áreas, minisites, sem que surjam problemas? Prevendo phantom labels, ora!

Phantom labels são setores que ainda não existem no site, mas que toda boa arquitetura deve prever. Exemplo: se há uma área de produtos em sua página, é quase certo que serão inclusos outros, em algum tempo. Abra espaço, ainda que ele não vá ser preenchido, para que esse conteúdo possa ter pouso. As vantagens? A ver:

Valorização do conteúdo

Quando um ambiente inclui informação, e esse é o caso de um site, o tamanho da página determina a importância do produto final, o que servirá de balizador na avaliação deste projeto. E uma arquitetura que prevê phantom labels realistas e funcionais é capaz de aumentar a pontuação.

Estímulo à criatividade

Um bom brainstorming para criar phantom labels abre portas para a criatividade, é um estímulo para expandir os horizontes do próprio core business do site. Tente e verás.

Mapeamento de limites

Até onde o tema do seu site pode ir? E até onde você pode querer que ele vá? Quais são os limites, como respeitá-los ou ultrapassá-los? A phantom label responde.

Planejamento de etapas

Muitas vezes um grande projeto não vai ao ar completo, e para organizar as etapas vindouras, nada melhor que trabalhar com phantom labels.

Um aviso final: não abuse das phantom labels, para o seu bem e dessa boa idéia, que é nova e merece cuidado. Ela ainda precisa adquirir respeito do mercado, lembre-se. Seja bastante crítico ao prever área fantasmas – só coloque no papel o que será realmente necessário no futuro.

Sobre o autor |

Jornalista, developer, carioca e nerd de carteirinha. Editor do site Jornalistas da Web e adepto da retrocomputação.

Siga Mario Cavalcanti no Twitter Siga Mario Cavalcanti no Facebook Siga Mario Cavalcanti no Google+
Mario CavalcantiPhantom label – ou como prever o futuro