Mario Cavalcanti
por — 4 meses atrás em Escolha do Editor, Notícias

Facebook permitirá transmissão ao vivo de suicídio, segundo nova diretriz

Documentos vazados ao jornal britânico The Guardian mostram o posicionamento da empresa sobre tais casos de violência

O Facebook passará oficialmente a permitir que usuários transmitam ao vivo suicídios e tentativas de automutilação porque “não quer censurar ou punir pessoas que já estão em perigo”, segundo documentos vazados para o diário britânico The Guardian e publicados na edição deste domingo (21).

No entanto, ainda de acordo com o veículo, as filmagens serão removidas “a partir do momento em que não há mais oportunidade de ajudar a pessoa”, a menos que o incidente seja particularmente notável, completa o documento com a diretriz.

Preocupação com o comportamento dos usuários

A nova política foi formulada sob a orientação de especialistas, dizem os arquivos, e reflete o modo como o Facebook está tentando lidar com alguns dos conteúdos mais perturbadores do site. A companhia disse ao jornal britânico que a preocupação da empresa em relação ao comportamento dos usuários na rede aumentou nos últimos seis meses.

Por exemplo, moderadores da rede social foram orientados recentemente a “destacar” para os superiores qualquer conteúdo relacionado a “13 reasons why”, uma popular série da Netflix que trata do suicídio de uma estudante do ensino médio. Essa orientação se deve ao fato de a empresa temer que a série inspirasse outras pessoas a copiarem o comportamento da personagem.

Estimativas feitas pelos moderadores da rede social mostram que os relatórios de potenciais automutilações no site estão aumentando. Um documento elaborado anteriormente diz que os moderadores encontraram 4.531 casos de automutilação em cada duas semanas. Para este ano, os números estimam que haverá 5.016 casos em um período de duas semanas. Os documentos mostram como o Facebook irá tentar entrar em contato com agências para ajudar alguém que está tentando — ou que parece que vai tentar — cometer suicídio.

A política atualizada, compartilhada com moderadores nos últimos meses, explica a mudança no pensamento. “Agora estamos vendo mais conteúdos de vídeo — incluindo suicídios — compartilhados no Facebook. Nós não queremos censurar ou punir pessoas em perigo que estão tentando cometer suicídio. Especialistas nos aconselharam que o que é melhor para a segurança dessas pessoas é deixá-las transmitir isso ao vivo, desde que elas estejam envolvidas com os espectadores”.

Os moderadores receberam ainda instruções de “deletar todos os vídeos que descrevem um suicídio, mesmo quando esses vídeos são compartilhados por alguém que não seja a vítima, com o objetivo de aumentar a conscientização”. A única exceção ocorre se o vídeo for de interesse jornalístico. Os documentos vazados orientam também os moderadores a ignorarem ameaças de suicídio quando a “intenção é expressa apenas por meio de hashtags ou emoticons” ou quando é improvável que o método proposto seja bem-sucedido.

Notícias relacionadas

Mais no Jornalistas da Web

Mario CavalcantiFacebook permitirá transmissão ao vivo de suicídio, segundo nova diretriz