54% das crianças nos EUA nunca leram um e-book, diz estudo

Levantamento feito pela Scholastic constatou que o laptop foi o dispositivo mais usado em 2012 para as leituras eletrônicas. Maior crescimento veio dos tablets.

RIO DE JANEIRO (Da Redação), 15 de janeiro – Um estudo divulgado nesta semana pela Scholastic, uma das maiores editoras de livros infanto-juvenil do mundo, revelou que 46% das crianças nos Estados Unidos já leram um e-book, quase o dobro dos 25% constatados em 2010. Em sua quarta edição, o levantamento Kids & Family Reading Report, conduzido em 2012 em parceria com o Harrison Group, entrevistou 1.048 crianças nos Estados Unidos entre 6 e 17 anos e seus pais, constatando, portanto, que 54% delas nunca leram um e-book.

Trecho do estudo conduzido em 2012 pela Scholarship sobre crianças e e-books.

De acordo com o levantamento, 57% das meninas que nunca leram um livro eletrônico disseram que gostariam de ler, comparado com 46% dos meninos. O dispositivo mais utilizado para leitura de e-books foi um laptop ou um netbook (22%). O maior crescimento em termos de uso de dispositivo veio dos tablets (21%), o que pode ser observado como algo normal, já que o iPad foi lançado em 2010, no último ano que a pesquisa foi conduzida e bem antes da explosão dos tablets. E-readers (19%) e computadores desktop (19%) aparecem como terceira opção.

Trecho do estudo conduzido em 2012 pela Scholarship sobre crianças e e-books.

O estudo procurou saber ainda quais os recursos considerados mais importantes nos dispositivos de leitura eletrônica entre as crianças que já leram um e-book. O dicionário apareceu em primeiro lugar, seguido do bloco de anotações. Já os pais dessas crianças priorizam recursos como vídeos e opção de leitura em voz alta.

A comparação com os livros impressos também apareceu na pesquisa. Entre outras coisas, as crianças entrevistadas disseram que os e-books são uma opção melhor do que os livros impressos quando elas estão viajando ou quando não querem que seus amigos saibam o que estão lendo. Os livros de papel são vistos como melhor opção para compartilhar com os amigos e para ler à noite na cama.

O levantamento foi disponibilizado na íntegra em versão PDF. JW.

Mario Cavalcanti54% das crianças nos EUA nunca leram um e-book, diz estudo