10/01/2013

Blogueiros e jornalistas são presos no Vietnã por criticarem o governo

Entre as supostas atividades criminais está a publicação de artigos online sobre a política comunista do país asiático.

Blogueiros e jornalistas presos no Vietnã - Reprodução / ARTICLE 19RIO DE JANEIRO (Da Redação), 10 de janeiro – O Vietnã prendeu treze ativistas pró-democracia, entre eles blogueiros, escritores e jornalistas, condenados por “realização de atividades destinadas a derrubar o governo”. Eles estão ligados ao Viet Tan, um grupo dissidente vietnamita com sede nos Estados Unidos e que as autoridades locais consideram como uma organização terrorista. A informação foi divulgada na quarta-feira (9) pelo ARTICLE 19, organização que apoia a liberdade de expressão.

Entre as supostas atividades criminais está a publicação de artigos na Internet criticando o governo comunista do país asiático. O ARTICLE 19 e o governo dos Estados Unidos se manifestaram dizendo que não consideram um crime as atividades. “Treze pessoas estão agora atrás das grades por fazerem nada mais do que expressar legítimas preocupações políticas. Elas foram trancadas por compartilhar seus pontos de vista sobre questões de importância pública na Internet e por participar de manifestações pacíficas”, disse Agnes Callamard, diretora executiva do ARTICLE 19.

Segundo o Viet Tan, os jornalistas cidadãos ligados ao grupo estavam sendo mantidos em seus quartos de hotel até o julgamento. As sentenças variam de três a treze anos.

De acordo com o diário britânico The Guardian, os Estados Unidos querem estreitar laços com o Vietnã porque o consideram como uma força contra o poder chinês, mas o histórico de problemas com direitos humanos em Hanói, capital do país asiático, é uma barreira. Em dezembro, o advogado de direitos humanos e blogueiro Le Quoc Quan foi preso. No ano passado, mais de dez ativistas foram condenados a penas de prisão longas. JW.

Fontes: The Guardian e ARTICLE 19.

Mario CavalcantiBlogueiros e jornalistas são presos no Vietnã por criticarem o governo