02/01/2013

Grupo Tribune anuncia saída da recuperação judicial

Proprietário dos jornais Chicago Tribune e Los Angeles Times também possui participação em mais de 50 sites na Internet.

Website do grupo Tibune / DivulgaçãoRIO DE JANEIRO (Da Redação), 2 de janeiro – O grupo de mídia americano Tribune Co., controlador dos jornais Chicago Tribune e Los Angeles Times, anunciou na segunda-feira (31) que saiu do período de recuperação judicial. A companhia se encontrava na situação desde 2008, quando teve início a crise econômica dos Estados Unidos.

O Tribune Co. entrou com pedido de recuperação judicial após Sam Zell, bilionário do ramo imobiliário, ter comprado toda a companhia, em 2007, por nada menos que US$ 8,3 bilhões. Pouco tempo após a aquisição, quando ocorreu a recessão global, uma queda na publicidade impressa devastou a indústria dos jornais. O grupo acumulou uma divida de mais de US$ 10 bilhões.

No decorrer do período de recuperação, a Corte de Falências permitiu que antigos credores tentassem recuperar parte das perdas acionando judicialmente acionistas do grupo, incluindo Zell. A demorada recuperação do grupo foi cercada de brigas entre investidores que financiaram a compra feita pelo magnata e credores existentes antes da aquisição.

O grupo ganha agora uma nova diretoria. Entre os donos, estão antigos credores, como JPMorgan, Gordon & Co. e Oaktree & Angelo. “O Tribune emerge do processo de proteção contra falência como uma companhia multimídia com um grande mix de ativos rentáveis, marcas fortes em grandes mercados e uma estrutura de capital bem melhor”, disse Eddy Hartenstein, diretor-executivo do grupo, em comunicado oficial.

Para se manter, a empresa está disposta a começar uma venda ampla de ativos, incluindo participações no site CareerBuilder e até mesmo no Chicago Tribune e no Los Angeles Times.

Além de oito jornais, o Tribune também é proprietário de 23 emissoras de televisão e participação em mais de 50 sites. JW.

Com informações da Bloomberg News.

Mario CavalcantiGrupo Tribune anuncia saída da recuperação judicial