27/11/2012

Usuários de mais três estados recebem medidores da qualidade da banda larga fixa

Bahia, Maranhão e Pará juntam-se a outras onze Unidades de Federação que já receberam as chamadas whiteboxes

DivulgaçãoAtualizado às 18:30.

RIO DE JANEIRO (Da Redação), 27 de novmebro – Voluntários do projeto de medição da qualidade da banda larga fixa residentes na Bahia, no Maranhão e no Pará começaram a receber, nesta semana, os equipamentos medidores, as chamadas whiteboxes. A distribuição já começou a ser feita em outras onze Unidades da Federação: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal, Pernambuco, Ceará, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Com as medições, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) reunirá informações para a adoção de medidas que permitam a progressiva melhoria do serviço.

Segundo a Anatel, ainda são necessários voluntários em todos os estados, inclusive onde a distribuição dos aparelhos já começou. O plano amostral elaborado pela entidade distribui voluntários por Unidade da Federação, por prestadora e por faixa de velocidade contratada, de modo a verificar a qualidade do serviço prestado aos diferentes perfis de usuário. Por vezes há grande número de voluntários cadastrados em determinadas localidades, mas faltam em outras, daí a necessidade de mais internautas em todo o Brasil. A escolha e a distribuição de aparelhos têm sido feitas nas células que já contam com grande número de usuários cadastrados.

Quem não for escolhido agora poderá ser sorteado em uma próxima etapa do projeto, já que, anualmente, haverá renovação de 25% da base de voluntários. Podem participar todos os usuários – pessoas físicas ou jurídicas – que tenham contrato de prestação de serviço de banda larga fixa em seu nome. As medições avaliarão as prestadoras do Serviço de Comunicação Multimídia com mais de 50 mil acessos: Oi, NET, Telefônica/Vivo, GVT, Algar (CTBC), Embratel, Sercomtel e Cabo Telecom. Apenas funcionários das empresas analisadas não poderão ser voluntários.

COMO COLABORAR COM O PROJETO

Para participar do projeto, o primeiro passo é fazer a inscrição por meio do site www.brasilbandalarga.com.br. Em seguida, deve-se fazer o teste de velocidade da conexão, conforme as orientações encaminhadas, por e-mail, pela Entidade Aferidora da Qualidade (EAQ). É fundamental que o teste seja realizado a partir de um computador ligado à internet por meio da conexão informada durante a inscrição. Os usuários que cumprirem essa etapa e aceitarem os termos e condições do projeto participam de sorteio para a escolha dos voluntários que receberão a whitebox. Caso não receba e-mail com link para o teste de velocidade, o usuário deve verificar sua caixa de spam ou entrar em contato com a EAQ pelo endereço [email protected]

Os selecionados pela EAQ não terão qualquer ônus para a instalação dos equipamentos e também não serão remunerados. Para participar do projeto, não são necessários conhecimentos avançados de informática: basta ligar o equipamento de medição ao modem ou ao roteador e deixá-lo funcionando. O equipamento não coleta qualquer informação pessoal, nem interfere ou monitora a navegação do usuário. Além de colaborar para a aferição da qualidade da banda larga, cada voluntário receberá relatório mensal com dados relativos à qualidade do serviço em sua residência ou empresa.

Pelas metas estabelecidas nos regulamentos de Gestão da Qualidade dos serviços de Comunicação Multimídia (banda larga fixa) e Móvel Pessoal (banda larga móvel), as prestadoras deverão garantir mensalmente, em média, 60% da velocidade contratada pelos usuários. Em outras palavras, na contratação de um plano de 10Mbps, a média mensal de velocidade deve ser de, no mínimo, 6Mbps. A velocidade instantânea – aquela aferida pontualmente em uma medição – deve ser de, no mínimo, 20% do contratado, ou seja, 2Mbps. Com isso, caso a prestadora entregue apenas 20% da velocidade contratada por vários dias, terá de, no restante do mês, entregar uma velocidade alta ao usuário para atingir a meta mensal de 60%. JW.

Mario CavalcantiUsuários de mais três estados recebem medidores da qualidade da banda larga fixa