Mario Cavalcanti
por — 12/11/2012 em Notícias

Programa para medição da banda larga móvel já está disponível

Segundo a Anatel, basta rodar o aplicativo no portal www.brasilbandalarga.com.br a partir de um dispositivo móvel para que os resultados sejam exibidos

DivulgaçãoRIO DE JANEIRO (Da Redação), 12 de novembro – A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) começou a disponibilizar nesta segunda-feira (12) o software para aferição da qualidade da banda larga móvel. O programa, disponível no site www.brasilbandalarga.com.br, funciona sem a necessidade de instalação. De acordo com a entidade, basta rodar o aplicativo no portal a partir de um dispositivo móvel (smartphone ou tablet) para que os resultados sejam exibidos.

Usuários de smartphones com o sistema Android também já podem baixar diretamente do Google Play o aplicativo Brasil Banda Larga, que permite rodar uma versão do mesmo programa. Até o final de novembro, estará disponível a versão do programa para smartphones com a plataforma iOS, da Apple.

A disponibilização do software faz parte do projeto de medição da qualidade da banda larga, por meio do qual a Anatel pretende reunir informações para a adoção de medidas que permitam a progressiva melhoria do serviço.

Os regulamentos de qualidade dos serviços Móvel Pessoal e de Comunicação Multimídia aprovados no ano passado criaram indicadores que serão calculados a partir de avaliações realizadas em todo o País. No caso da banda larga móvel, os medidores serão instalados em locais selecionados aleatoriamente dentro da área de cobertura das prestadoras; no caso da banda larga fixa, nas conexões de voluntários. Os primeiros resultados dessas medições devem ser divulgados pela Agência já em dezembro deste ano.

De acordo com as metas de qualidade para a banda larga – tanto fixa quanto móvel -, as prestadoras devem garantir mensalmente, em média, pelo menos 60% da velocidade contratada pelos usuários. Ou seja, na contratação de um plano de 10Mbps, a média mensal de velocidade deve ser de, no mínimo, 6 Mbps. A velocidade instantânea – aquela aferida pontualmente em uma medição – deve ser de, no mínimo, 20% do contratado, ou seja, 2 Mbps. Com isso, caso a prestadora entregue apenas 20% da velocidade contratada por vários dias, terá de, no restante do mês, entregar uma velocidade alta ao usuário para atingir a meta mensal de 60%. JW.

Mario CavalcantiPrograma para medição da banda larga móvel já está disponível