Mario Cavalcanti
por — 23/02/2010 em Notícias

AOL planeja construir a 'redação do futuro'

Companhia adota estratégia para poder conhecer as preferências dos leitores

Logo AOLRIO DE JANEIRO (Da Redação), 23 de fevereiro – A AOL está produzindo o que ela própria está chamando de "redação do futuro", de acordo com informações da Business Week. A companhia está fazendo uso de programas para ajudar a determinar quais os artigos que podem interessar aos leitores, fornecendo a seus jornalistas informações detalhadas sobre a receita oriunda de anúncios e o tráfego de visitantes gerados pelo conteúdo produzido.

Atualmente, mais de 500 jornalistas trabalham em tempo integral para a AOL, que tradicionalmente é mais uma distribuidora de conteúdo do que uma produtora, mas que está claramente mudando o seu posicionamento. Desses profissionais, 150 foram contratados no ano passado

FIM DA REPORTAGEM ORIGINAL?

A Business Week levanta uma discussão, no entanto, sobre a estratégia da companhia de estimular seus jornalistas a escreverem sobre os tópicos que estão em destaque entre os leitores. Tais profissionais têm feito essa pesquisa, inclusive, em sites como Google e Facebook. A publicação questiona se a tática não levaria a uma falta de reportagens originais, destacando que, na opinião de alguns jornalistas, seguir as preferências do público poderia levar a uma enxurrada de notícias sobre celebridades e outros assuntos desinteressantes, distantes do bom jornalismo.

NOTÍCIAS AUTOMATIZADAS

Em 2006, o grupo americano de informações financeiras Thomson Financial começou a utilizar computadores para tentar gerar notícias automaticamente. Segundo informações do Financial Times na época, a partir de resultados guardados na base de dados da Thomson, os algoritmos seriam capazes de criar, em apenas 0,3 segundo, uma notícia de cunho financeiro, comentando os resultados dos números e dizendo onde investidores acertaram ou erraram. JW.

Mario CavalcantiAOL planeja construir a 'redação do futuro'