Mario Cavalcanti
por — 03/12/2009 em Notícias

Jornalistas de língua portuguesa terão entidade

Assembleia de criação da nova federação vai acontecer em Lisboa, Portugal

Imagem ilustrativaRIO DE JANEIRO (Da Redação), 3 de dezembro – Acontece do dia 5 ao dia 7 deste mês, em Lisboa, Portugal, a cerimônia de criação da Federação de Jornalistas de Língua Portuguesa, entidade que terá por objetivo criar uma estrutura internacional de cooperação e defesa dos interesses comuns dos profissionais de língua portuguesa, bem como de promoção deste patrimônio cultural – o idioma – historicamente partilhado entre as nações e comunidades lusófonas pelo mundo.

A Associação de Direitos Autorais dos Jornalistas (Apijor) é uma das entidades brasileiras que marcarão presença na assembleia de lançamento da federação. Segundo o presidente da Apijor, Paulo Cannabrava Filho, a questão dos direitos autorais deve caminhar em conjunto com qualquer manifestação jornalística. "consideramos que o tema do Direito Autoral deve ser transversal a qualquer atividade envolvendo jornalistas e demais profissionais da comunicação e do jornalismo", diz.

PROTEÇÃO INDEPENDENTE DO PAÍS

No evento, o presidente da Apijor apresentará propostas que visam a proteção do trabalho do jornalista: "Levarei como proposta que a nova e tão necessária organização de jornalistas de língua portuguesa surja priorizando em seus programas de trabalho o desenvolvimento de uma cultura de respeito aos direitos autorais na comunicação e no jornalismo. Também levarei proposta de formalização de convênios de consultoria para encaminhamento das questões relacionadas aos direitos autorais entre a nova Federação, os sindicatos envolvidos e a Apijor."

A nova federação também deverá auxiliar na questão da estrutura. A partir de sua fundação serão viabilizados projetos diversos como a promoção de encontros, seminários congressos, palestras e cursos para jornalistas, professores de jornalismo e alunos nos países-membros. Além do Brasil, estarão presentes no evento representantes de Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Moçambique e Portugal. JW.

Mario CavalcantiJornalistas de língua portuguesa terão entidade