Mario Cavalcanti
por — 04/08/2009 em Notícias

Fotos sensuais de jovens na Web preocupam MPF

Material estaria bem próximo do que pode ser considerado pornografia infantil

Imagem ilustrativaSÃO PAULO (Agência Brasil), 4 de agosto – A organização não governamental Safernet Brasil e o Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo estão preocupados com o crescimento do chamado sexting (palavra originada de sex, que em inglês significa sexo, e texting, texto enviado por celular), modalidade entre os adolescentes de se fotografarem em poses sensuais, nus ou seminus, postando depois as imagens na Internet ou enviando-as pelo celular.

"Esse fenômeno nos preocupa muito porque está numa fronteira muito tênue entre o que é ciberbullying, que são aquelas piadas agressivas entre os jovens, e o que pode ser considerado pornografia infantil. É a nova versão da paquera. O mexer no cabelo das meninas e dar uma piscadinha de olho numa festa ou ir a uma balada têm sido complementados por uma foto sensual [de partes do corpo ou seminus]", disse o diretor de Prevenção e Atendimento da Safernet, Rodrigo Nejm.

Segundo ele, as fotos são enviadas pela Internet ou celular para os paqueras dos adolescentes de forma inconsequente, "sem intenção de produzir nenhum tipo de pornografia". Para Nejm, nesses ambientes, as imagens podem cair nas mãos de outras pessoas, que podem tirar proveitos das fotos ou utilizá-las em sites pornográficos.

"Infelizmente, muitos aliciadores e muitos consumidores de pornografia infantil recebem isso como um presente e colecionam essas imagens, colocando essas imagens num contexto de pornografia infantil", afirmou Nejm.

ORIENTAÇÕES E PESQUISAS NO SETOR

Uma pesquisa feita pela Safernet sobre hábitos de navegação, e que ainda está em andamento em vários estados do Brasil, revelou que 13% dos estudantes adolescentes já publicaram fotos intimas na Internet ou as enviaram por e-mail ou celular pelo menos uma vez uma vez na vida e mais 39% publicaram ou enviaram as fotos íntimas por mais de cinco vezes.

Em outra pesquisa sobre hábitos de segurança online, foi constatado que 38% dos jovens já foram vítimas de ciberbullying e 44% disseram que os amigos já foram vítimas de humilhações e piadas agressivas (ciberbullying) ao menos uma vez.

Para orientar os educadores na prevenção e combate a esse tipo de crime na Internet, a Safernet, em parceria com o Ministério Público Federal (MPF), lançou nesta terça-feira (3) um kit pedagógico, contendo vídeos didáticos, histórias em quadrinhos, fichas pedagógicas com sugestões de atividades em salas de aula, além de uma cartilha com dicas para tornar o uso da internet mais seguro.

Entre as dicas oferecidas pela cartilha para navegar com segurança na Internet estão o de não expor detalhes da vida pessoal ou dados como endereços e telefones na rede; evitar distribuir ou colocar fotos em sites de relacionamentos, blogs ou enviá-los por e-mails (correios eletrônicos); tomar cuidado com o que escreve ou com as imagens que publica na rede; não responder às agressões e bloquear os contatos de agressores no celular, sites de relacionamento, chats ou e-mails.

Por Elaine Patricia Cruz

Mario CavalcantiFotos sensuais de jovens na Web preocupam MPF