Mario Cavalcanti
por — 05/01/2009 em Notícias

Pesquisador dá dicas para sobrevivência do impresso

Jason Kintzler, dos EUA, acredita na união entre diários tradicionais e mídia social

Imagem ilustrativaO pesquisador de mídias sociais Jason Kintzler, dos Estados Unidos, publicou na última semana um artigo onde cita quatro ingredientes importantes para a sobrevivência dos jornais impressos.

Kintzler, que escreve para o blog PitchEngine e diz não achar que o jornal vai "morrer" completamente a qualquer momento, sugere como base a união entre os diários e a mídia social. Para ele, apostar em notícias hiperlocais, dar mais voz aos leitores e estimular o envio de conteúdo gerado pelo cidadão são algumas das soluções para tornar o impresso competitivo e atraente.

Ingredientes para a sobrevivência do jornal (por Jason Kintzler)

Microcomunidades – Apostar fundo em notícias locais, repórteres podem se tornar gerentes de notícias de comunidade, passando a dar mais atenção a notícias que dizem respeito a um subúrbio, bairro ou determinada vizinhança;

Conteúdo gerado pelo usuário – Jornais e emissoras de televisão podem possibilitar aos leitores/telespectadores enviar e compartilhar conteúdo a partir dos sites dos veículos. Os jornalistas passam a filtrar o conteúdo enviado;

Manter a audiência engajada – Não só permitir o envio, mas estimular a participação também é um bom ingrediente. Além disso, evidenciar as colaborações dos usuários que estão sendo utilizadas pelo jornal;

Torne-se a fonte de notícias da comunidade – Segundo Kintzler, em se tratando de jornais locais ou com seções locais (como cadernos de bairros), quando um evento de grande porte correr na área de um jornal, este provavelmente terá as conexões, os repórteres e o suporte da comunidade que os competidores nacionais não têm.

O artigo de Jason Kintzler pode ser lido na íntegra aqui (em inglês). JW.

Mario CavalcantiPesquisador dá dicas para sobrevivência do impresso