Mario Cavalcanti
por — 01/07/2008 em Notícias

Tribunal ultra-ortodoxo de Jerusalém proíbe MP4

Decisão não tem efeito legal, mas comerciantes são ameaçados e lojas sofrem vandalismo

Um tribunal ultra-ortodoxo em Jerusalém proibiu o comércio de MP4 (aparelhos digitais de música que também reproduzem vídeos) por considerá-los uma “ferramenta do diabo que leva as pessoas ao pecado”. A proibição não tem nenhum valor legal, mas duas lojas que a desobedeceram sofreram atos de vandalismo, informou o G1.

Uma das lojas teve janelas e vitrines quebradas e a outra foi incendiada. A decisão impede a venda ou mesmo armazenamento do aparelho em lojas, segundo o jornal online Yediot Ahronot, avanços tecnológicos sempre são vistos como um problema pela comunidade ultra-ortodoxa.

"Com freqüência os rabinos optam por banir qualquer contato público com gadgets  desconhecidos, com medo de que seus usuários sejam expostos a conteúdo impróprio. O mesmo acontece com os toca-MP4 que, por exibirem vídeos, tornaram-se a mais nova ameaça à castidade", afirma o Yediot Ahronot.

A polícia investiga os dois casos de vandalismo nas lojas. Semanas antes do ataque, estudantes chegaram a protestar contra as vendas do aparelho.

Mario CavalcantiTribunal ultra-ortodoxo de Jerusalém proíbe MP4