Mario Cavalcanti
por — 21/11/2007 em Notícias

Uma viagem virtual pelo mundo impresso

Ceila Santos analisa a obra 'Conectado', de Juliano Spyer, que apresenta relações entre o online e o offline

Por Ceila Santos (*)

Divulgação: a obra de Juliano Spyer mostra relações entre o virtual e o físico.Quando fui perguntada pelo Mario Cavalcanti se já havia lido o livro Conectado, do Juliano Spyer, percebi o quanto meu hábito de leitura acontecia cada vez mais via Web. Depois que terminei de lê-lo, descobri as razões que ainda me levam a passar mais de 80% da minha vida profissional plugada no mundo virtual. É justamente essa relação entre o mundo online e nosso cotidiano que dá a "Conectado – O que a Internet fez com você e o que você pode fazer com ela" (Editora Jorge Zahar, 256 páginas), um comportamento de leitura muito mais virtual que impresso. Explico: o autor lhe convida para um encontro online antes do primeiro capítulo e lhe deixa diversos cenários hipotéticos para o futuro da Internet como uma escolha nossa: “Serão as decisões dos indivíduos nesse momento de transição que determinarão a maneira como essa oportunidade aberta pela tecnologia será aproveitada na sociedade”.

A leitura não exige um comportamento linear e, além disso, Juliano faz da própria obra uma "cobaia" do conteúdo que apresenta. Ele explica que o endereço eletrônico http://www.naozero.com.br/ é o blog do livro, que pode ser discutido, debatido e comentado na hora em que o leitor bem entender. Não tenho dúvida de que é uma oportunidade para muitos jornalistas, principalmente os mais jovens e os mais velhos, compreenderem o básico da transformação da mídia digital. Não só porque há muitos capítulos extremamente didáticos, mas também porque há opiniões e análises de quem colocou em prática a teoria da colaboração.

Historiador pela USP e palestrante para o curso de mídias digitais da PUC-SP e do Departamento de Publicidade da ECA-USP, Juliano, responsável pelos projetos Viva São Paulo e Leia Livro, explica que seu livro é destinado especialmente a estudantes e professores de cursos técnicos e superiores na área de comunicação. Pode até parecer que você não precisa saber o que é blog, wiki, ou listas de discussão, mas só mesmo sendo guiado pelo Conectado para entender o quanto é importante ler no papel aquilo que você acha que já sabia.

Também quem estiver envolvido em projetos de mídias sociais, em algum momento vai dizer: "putz, precisava ter lido isso antes". Não que haja respostas para nossas infinitas perguntas, mas de certa maneira o livro nos dá a oportunidade de organizar melhor as tais perguntas.

O que não falta no rodapé é o uso da Wikipedia, o que me chamou muita atenção, já que há coleguinhas do jornalismo que defendem com unhas e dentes a falta de credibilidade da enciclopédia colaborativa. Na obra, o site torna-se referência de informação. É exatamente esse novo olhar que Conectado lhe permite conhecer, caso esteja disposto a encarar uma nova realidade da oferta da informação. Tenho a sensação de que, no mínimo, é um livro extremamente necessário diante da intensa transformação da mídia digital. E por atitudes como essa e outras, que são apresentadas em Conectado, é que considero o material útil e bastante oportuno para os jornalistas de hoje.

*Ceila Santos é jornalista freelancer e coordenadora do portal Desabafo de Mãe.

Mario CavalcantiUma viagem virtual pelo mundo impresso