Mario Cavalcanti
por — 05/07/2007 em Notícias

Estudo avalia relações em mundos virtuais

Segundo pesquisadora do MIT, avatares bem vestidos passam confiança para interlocutores

Imagem ilustrativa: segundo pesquisadora, avatares ainda não representam fielmente emoções humanas.Segundo notícia no Estadão, um artigo publicado na edição de julho da Science Magazine discute a evolução da comunicação interpessoal através de avatares, formas de representação virtual.

De autoria de Judith Donath, pesquisadora do Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos, o texto conclui que a tecnologia gráfica ainda não avançou o esperado para reproduzir fielmente nos metaversos – como o Second Life – impressões e sensações de pessoas durante contatos físicos. Para Donath, falta aos avatares a habilidade de interagir com partes do corpo como olhos e sobrancelhas.

A pesquisadora concluiu ainda que avatares mais realistas e bem vestidos, com boa aparência, provocam mais confiança nos interlocutores e parecem mais honestos para estes.

A notícia pode ser lida na íntegra aqui.

Mario CavalcantiEstudo avalia relações em mundos virtuais