Mario Cavalcanti
por — 29/06/2007 em Notícias

Portal NoMínimo encerra operações

Um dos projetos de jornalismo online mais queridos do país fecha por ´inanição financeira´

Imagem ilustrativa: NoMínimo fecha por falta de patrocinadores.O NoMínimo, portal brasileiro de jornalismo que desde 2002 reunia alguns dos jornalistas brasileiros mais conhecidos, anunciou oficialmente nesta sexta-feira, 29, o encerramento de suas operações.

Na página principal do site, uma mensagem direcionada aos leitores, em nome dos editores e colaboradores do veículo – e acompanhada da imagem de uma cruz – comunica o seu fechamento:

"Editores, blogueiros, colunistas, funcionários, colaboradores assíduos ou ocasionais, enfim, todos os nomes abaixo relacionados que ajudaram a criar o site de jornalistas mais querido do Brasil comunicam sua morte súbita neste 29 de junho de 2007, vítima de inanição financeira decorrente do desinteresse quase geral de patrocinadores e anunciantes em sua sobrevida na web.", diz a primeira parte da mensagem.

No próprio texto, responsáveis pela publicação desculpam-se por não terem conseguido prosseguir com o empreendimento:

"Seus realizadores também sentem muito o triste fim desse espaço livre, democrático e criativo de trabalho, mas se despedem com a sensação de dever cumprido com o jornalismo e a camaradagem que nos une. Foi bom, foi muito bom enquanto durou. Quantos no país têm a oportunidade de tocar seus próprios projetos com prazer, independência e alegria? Aos leitores, nossas desculpas pela falta de talento empreendedor, o que talvez pudesse transformar o site num bom negócio financeiro. Fica para a próxima. Até breve.", finaliza o texto.

Alguns colunistas que acompanham o NoMínimo desde a sua criação, como Pedro Doria – que já migrou seu blog para um novo espaço -, utilizaram seus espaços para comentários e despedidas:

"Por aqui não vai uma despedida de NoMínimo. Para alguns de nós, são sete anos e meio de jornada. Há três, quatro semanas venho escrevendo rascunho após rascunho de despedidas. Às vezes, com texto, é preciso entregar os pontos. Não saiu. Não encontrei o tom. Companheiros de site: muito obrigado.", escreve Doria em sua coluna.

Sucessor do projeto NO., o NoMínimo contava com nomes de peso como Arthur Dapieve, Marcos Sá Corrêa, Pedro Doria, Villas-Bôas Corrêa e Zuenir Ventura. JW.

Nota do editor:

Este é o tipo de notícia que não gostamos de dar. O NoMínimo sempre foi, desde a sua criação, um projeto moderno e lúcido, um espaço colaborativo, e que agora sucumbiu pelas forças que regem o mercado. Uma grande perda para o jornalismo online brasileiro. Ficam aqui registrados os pêsames do JW e a esperança de que o veículo consiga retornar.

Mario CavalcantiPortal NoMínimo encerra operações