Mario Cavalcanti
por — 09/04/2007 em Notícias

Do diário pessoal ao jornal

Marcel Victor explica que blogs são excelentes ferramentas que contribuem para a valorização da atividade jornalística

Por Marcel Victor (*)

Eles surgiram no mundo virtual como uma opção mais fácil e leve para quem não tem tempo, condições e paciência de lidar com linguagens de programação como HTML e PHP, exigidas para criação de sites mais personalizados. Desde então, os blogs viraram febre para muitas pessoas que gostam de publicar suas experiências cotidianas na Web.

Imagem ilustrativa.É certo que muitas pessoas têm verdadeira antipatia por esse formato de publicação, pois muitos possuem um layout cansativo, cores berrantes, inúmeros quadros e imagens em movimentos, além de um português paupérrimo e propositadamente mutilado, sobretudo por adolescentes que amam abreviar (diga-se "assassinar") palavras com o fim de tornar a comunicação mais leve e informal. Para um público mais maduro, esse tipo de conteúdo pode ser completamente desinteressante e cria uma certa repulsa por quem navega pela Internet à procura de algo mais sério.

Entretanto, a comunidade jornalística (profissionais e estudantes) pode e deve utilizar esta ferramenta não apenas para relatar experiências pessoais do dia-a-dia, como também para se expressar sobre diversos assuntos e levar ao conhecimento de seus leitores ou rede de amigos fatos de considerável importância, podendo tornar-se formadora de opinião ou mesmo agir como um banco de empregos.

Graduada desde 1996, a jornalista Cátia Chagas, de Porto Alegre, trabalha como editora e produtora de uma revista voltada para o mercado agrícola e faz pós-graduação. Em seu blog Comunica, ela dá seu parecer sobre fatos divulgados pela imprensa. Para ela, esta é uma forma de manter-se atualizada constantemente com o mundo da mídia: "Meu blog não é noticioso, mas de críticas, boas ou más", explica Cátia.

Já o jornalista Diogo Carvalho, de São Paulo, que atualmente está desempregado, mas que faz frilas para a editora de esportes do portal Terra, utiliza a Internet para buscar emprego. Carvalho considera uma ótima iniciativa os jornalistas publicarem seu material na Web: "Se fosse dono de algum jornal, com certeza avaliaria o blog de um jornalista que estivesse interessado na contratação", conta Diogo.

Enquanto uns avaliam o trabalho da mídia, outros preferem colaborar com serviços, valorizando a classe. Este é o caso do blog Balcão da Comunicação, que anuncia não somente vagas em diversas empresas, como também divulga concursos públicos. O Rede RP – Relações Públicas divulga vagas, listando pré-requisitos e contato com as empresas anunciantes. Já o Vencer com Pouco, também é um excelente sítio que abrange um público maior, de grande valia para profissionais desempregados e "focas", como são conhecidos os profissionais recém-saídos da faculdade.

Se por um lado, a dificuldade de conseguir um emprego sólido tem sido cada dia mais desafiadora, por outro a existência da Internet e de ferramentas como os blogs possibilitam a nós, profissionais de comunicação, uma forma de nos mantermos antenados, mesmo que isso não signifique, em princípio, lucro imediato. Em minhas conversas com ex-colegas de faculdade e outros companheiros, costumo ressaltar que é mais importante que a pessoa esteja sempre em contato com empresas, profissionais que estejam empregados e fazendo de tudo para não desvalorizar os pelo menos quatro anos que foram gastos numa faculdade.

A Rede proporciona uma possibilidade de estar ativo na área, e os blogs podem ser utilizados como instrumentos para tornar conhecidas não apenas idéias e pensamentos, como também o trabalho de alguém que, no futuro, pode estar entre os maiores do universo comunicacional.

*Marcel Victor é jornalista freelancer e colabora com diversos jornais, revistas, empresas e sites.

Mario CavalcantiDo diário pessoal ao jornal