Mario Cavalcanti
por — 17/01/2007 em Notícias

Jornalistas criticam proibição do COB

Integrante da Comissão Nacional de Ética do Fenaj, Carmem Pereira diz que decisão vai contra a pluralidade da informação

Veículos online podem não cobrir os Jogos Pan-Americanos do Rio 2007 por decisão do COB.O anúncio do Comitê Olímpico Brasileiro de que veículos de Internet não terão direito à produção ou transmissão ao vivo dos Jogos Pan-Americanos do Rio 2007 que inclua áudio e/ou vídeo está causando indignação entre jornalistas que trabalham no meio online e órgãos ligados ao exercício do jornalismo e à liberdade de imprensa.

Em linhas gerais, Carmem Pereira, integrante da Comissão Nacional de Ética da Federação Nacional dos Jornalistas, a Fenaj, diz que decisões do tipo vão contra a pluralidade de informação pela qual o órgão luta.

– Esse tipo de proibição é um atentado à liberdade de imprensa na medida em que impede o exercício profissional do jornalista. A Comissão certamente não pode concordar com esse tipo de atitute, seja do COB, seja de quem quer que for. A gente luta para que se tenha mais espaço, por uma pluralidade de informação e esse tipo de atitude cerceia e impede, vai contra todos os princípios que a Comissão de Ética se pauta, que a própria federação age em defesa do exercício profissional – diz Carmem em depoimento ao JW pelo telefone.

A Fenaj deve discutir a questão ainda essa semana.

– A Comissão funciona geralmente a partir de denúncias. Estaremos reunidos em São Paulo no sábado (…) Acredito que essa questão seja discutida, pelo menos pelos membros que estejam presentes. Embora a Comissão não tenha o poder, digamos assim, de tomar iniciativa, pode politicamente fazer uma manifestação – completa Carmem.

James Della Valle, editor de tecnologia do iG, também lamenta o anúncio do COB, mas acredita que a proibição não impedirá que conteúdos audiovisuais sobre o evento se proliferem na Web.

– Infelizmente, isso é normal. Eles pagaram (e não deve ter sido pouco) pelo direito de exclusividade das imagens de vídeo e áudio do evento. Mas, com certeza, isso não vai impedir a disseminação de conteúdo produzido por usuários. Logo, teremos vídeos no YouTube, Google Video e outros do gênero. Se forem bloqueados, alguém vai dar um jeito de hospedar o conteúdo em outro lugar. E o que é pior (para eles), os usuários poderão ver esse material quantas vezes quiserem, coisa que ainda não se pode fazer na TV – diz Della Valle ao JW.

Ouça aqui trecho do depoimento de Carmem Pereira dado ao JW. Acesse aqui o site oficial do Pan 2007. JW.

Mario CavalcantiJornalistas criticam proibição do COB