Mario Cavalcanti
por — 19/09/2006 em Notícias

Maioria dos digitais não pode ser aferida

Segundo normas do IVC, somente edições digitais idênticas ou muito semelhantes às impressas são consideradas para auditoria

Segundo normas do Instituto Verificador de Circulação (IVC) – entidade que afere a circulação e a distribuição de publicações no Brasil – e informações da assessoria de imprensa do Digital Pages – ferramenta para criação de publicações digitais -, a grande maioria dos veículos virtuais brasileiros que possuem edições digitais não pode ser aferida, pois somente as edições digitais que sejam idênticas ou muito semelhantes às impressas seriam consideradas para auditoria.

Desde junho deste ano, o IVC passou a medir a quantidade de acessos a versões digitais de publicações impressas. Ferramentas pensadas exclusivamente para a criação de edições digitais seriam uma solução para jornais digitais, pois, além de trazerem mecanismos de CRM que permitiriam conhecer o perfil do leitor, deixariam as edições digitais aptas a serem auditadas.

Entre os exemplos de publicações que normalmente são digitalizadas, estão anuários, catálogos, formulários, guias, jornais, livros, manuais de treinamento, revistas, relatórios e tablóides publicitários. Via press release.

Mario CavalcantiMaioria dos digitais não pode ser aferida