Mario Cavalcanti
por — 11/09/2006 em Notícias

Detetives da HP espionaram jornalistas

Fabricante americana de produtos de informática queria saber quem vazou informações sobre ela para a imprensa

De acordo com a agência de notícias Efe, a fabricante de produtos eletrônicos Hewlett-Packard (HP) teria espionado diretores e jornalistas a fim de descobrir quem vazou informações sobre ela para a imprensa. Detetives particulares teriam sido contratados pela empresa multinacional e teriam obtido informações confidenciais sobre ligações telefônicas entre repórteres do portal americano de tecnologia Cnet, do jornal The New York Times e do The Wall Street Journal.

Os detetives contratados pela presidente da HP, Patricia Dunn, teriam utilizado um método de investigação conhecido como "pretexting", que consiste em entrar em contato com uma operadora de telefonia como se fosse um cliente, a fim de tentar conseguir informações, método que pode ser considerado uma forma de fraude ou roubo de identidade e que não foi aprovado pelo procurador-geral da Califórnia, Bill Lockyer, que pretende estudar a questão.

A notícia foi publicada no Estadão e pode ser lida na íntegra aqui. Leia mais sobre o método "pretexting" na Wikipedia (textos em inglês).

Mario CavalcantiDetetives da HP espionaram jornalistas