Mario Cavalcanti
por — 17/02/2003 em Notícias

Para entender os blogs

Por Bruno Rodrigues. Entender a blogosfera é deixar de lado o racional e olhar para esses diários online que amam a informação

Por Bruno Rodrigues (*)

Nosso amigo está de olho em tudo. Sempre. Nada escapa ao seu olhar crítico e aguçado. Seu posto de observação é uma plataforma de lançamento, onde informações preciosas são passadas em poucos segundos, e não há força no mundo capaz de desviá-lo de sua rota.

Um espião na Segunda Guerra? James Bond na "Cold War"? Ledo engano – nosso olho de lince é o blog, diário pessoal e intransferível publicado em todos os cantos da Web, como uma mensagem na garrafa lançada ao mar da internet…

Soou meloso? Pois foi. Afinal, ele é o último reduto romântico da internet, eco de um tempo em que a grande aventura da liberdade de expressão abria novos caminhos nas telas dos computadores. 

Para entender o real porquê dos blogs, é preciso deixar o racional de lado, pondo a objetividade para escanteio e olhando para cada um destes diários online como tocantes demonstrações de amor pela troca de informações. 

Por isso não convém a pergunta "para quê serve um blog". 

Ainda que uma tentativa bem intencionada, de entender algo obscuro para só então admirá-lo, não é com o cérebro (ou com o bolso) que se consegue absorver idéias como esta.

Quando entendida com o coração, a noção do blog pode levá-lo a experiências interessantes, e é bom perceber que neste universo, como em toda história de amor, também não há certo ou errado, apenas maneiras diversas de externar emoções – e, é claro, dividir boas informações!

BLOG PESSOAL

Pela facilidade com que se consegue ferramentas para criação e manutenção de blogs, qualquer um pode abrir uma janela na Rede – e de uma forma mais fácil e barata que a produção de um site. Uma vez criado seu blog, está liberada sua linha direta com o mundo. Viu aquele filme e quer dividir sua opinião com os visitantes? Blog neles. Quer formalizar suas visões sobre vida e morte? Põe no blog. Mas não embarque em uma egotrip: seus amigos não têm obrigação de se interessar, diariamente, sobre sua posição sobre o último aumento da gasolina ou algo semelhante. Escreva sempre pensando em provocar interesse, e escreva pouco em cada tópico. O blog pessoal é descendente direto do diário, nunca se esqueça – uma experiência a cada dia, um novo texto a cada 'página'. Por isso, lembre-se de atualizá-lo diariamente. Não é assim com os diários do mundo real?

BLOG DE OPINIÃO

Botânica, astronáutica, cultivo de flores, engenharia genética – o que você tem a dividir sobre seu assunto preferido, dia após dia? Diferente dos websites, onde buscamos informações, neste tipo de blog procuramos opiniões. O que queremos são visões semelhantes – e até diversas – das que temos. Estamos atrás de outras lentes para enxergar o mundo de uma nova forma, ou aprofundar nossas visões sobre um determinado assunto. Mais do que nunca, aqui vale o que você pensa, e não o que consenso pede que se concorde ou discorde. Os blogs de opinião funcionam como ligações entre neurônios de um cérebro, uma troca constante de percepções que produz conhecimento da melhor qualidade.

BLOG PROFISSIONAL

O que um jornalista que cobre uma guerra na Ásia tem a informar, você pode ler todo dia no jornal – mas o que ele sente ao trabalhar sob fogo cruzado, você só checa no blog. O porquê da reviravolta na pesquisa de um pesquisador de doenças raras você pode ver na TV – mas as sensações deste cientista em estar adentrando caminhos totalmente inéditos, você só encontra no blog. Não há melhor contribuição para o futuro do jornalismo online que os blogs profissionais: eles criam uma ponte direta entre a fonte da notícia e seu leitor, abordam aspectos que um noticioso jamais teria interesse ou espaço para publicar. Mais uma vez, é o subjetivo, as sensações e a emoção que se misturam à informação, dão as cartas e deixam a objetividade em segundo plano. Desconcertante para quem trata a notícia com formalidade, um deleite para quem deseja saber detalhes que cercam um fato e uma jogada de mestre da nossa eternamente irrequieta amiga internet…

Recebo muitos emails de leitores que desejam saber sobre onde encontrar meu livro "Webwriting – Pensando o texto para a mídia digital" (Editora Berkeley) em cidades onde ainda não há livrarias da rede Siciliano. Pois bem, a Som Livre oferece a obra, muitas vezes com desconto. E vale lembrar que a Siciliano Online tem sempre "Webwriting" em estoque.

Em 14 de março estarei em Brasília ministrando pela primeira vez o curso "Jornalismo Online: Newswriting", complemento a "Conteúdo Online: Webwriting & Arquitetura da Informação", que já entra em seu quarto ano e do qual já participaram mais de 700 pessoas. "Jornalismo Online" será realizado na OTC (0XX 61 3406585, otc@otc.inf.br) e logo chega ao Rio e a São Paulo.

*Bruno Rodrigues é professor de webwriting e editor do site da Petrobras.

Mario CavalcantiPara entender os blogs