Mario Cavalcanti
por — 02/10/2001 em Notícias

O jol no Brasil e no mundo

Pesquisa do JW feita com internautas e profissionais de comunicação traça o perfil do cenário atual de jornalismo online

Por Mario Lima Cavalcanti (*)

Pensando em saber a opinião de algumas pessoas sobre o cenário atual de jornalismo online no Brasil, fizemos uma pequena pesquisa com usuários domésticos e profissionais de comunicação que trabalham com internet, para saber como eles vêem o cenário atual de jornalismo online.

A idéia, com esta pesquisa realizada por email, era ter uma rápida resposta não só sobre a qualidade do jornalismo online no Brasil e no mundo, como também sobre alguns aspectos que ajudariam a definir o comportamento do usuário/leitor online.

Foram entrevistados 20 usuários domésticos e 50 profissionais da área de comunicação que, no final das contas, também são usuários e leitores online.

Na conclusão da pesquisa, tivemos alguns resultados já esperados, mas também algumas surpresas. Quando perguntado que tipo de informação os entrevistados mais procuram na Web, a diversidade foi enorme, mas predominou a notícia. Alguns profissionais utilizam muito a Web para buscar idéias para pautas, descobrir novas fontes, fazer contatos e apurar notícias.

Dos 60 entrevistados, 90% usam a internet para lazer e trabalho, e apenas 10% utilizam a Rede somente para trabalho. Nenhum dos entrevistados utiliza a Web somente para lazer.

Depois do texto, 60% acham a imagem a forma de mídia mais importante em uma notícia online. 35% acreditam que depende do caso, e 5% apostam em vídeo. Áudio e outras possíveis formas de mídia não receberam votos.

Sites brasileiros de notícias são bons; arquivos precisam ser melhorados

Quando perguntados sobre a importância dos jornais online de ter arquivos com matérias antigas, todos tiveram a mesma opinião: os jornais online devem possuir arquivos sim. Mas quando questionados sobre a qualidade dos arquivos dos sites noticiosos, as respostas foram bem distribuídas e não tão positivas: nenhum dos entrevistados acha os arquivos online excelentes. 60% os consideram bons, 25% acham que são regulares, e 15% acham os arquivos de sites noticiosos péssimos, acreditando que, em muitos casos, a pesquisa por notícias fica mais fácil a partir de ferramentas de busca como o Google.

Já em relação à qualidade dos sites brasileiros de notícias, 90% os classificam como bons, 5% como excelentes, e 5% como regulares. Nenhum dos entrevistados acha os sites de notícias brasileiros péssimos.

Comportamento das notícias e de seus elementos

Essa é uma das partes que geralmente mais interessa aos donos de veículos. O comportamento de uma notícia online varia muito de publicação para publicação, mas, em certos casos, existem aspectos que devem ser únicos, não importando o veículo.

Tais aspectos estão sendo constantemente estudados. Um deles é o tamanho dos textos. Quando perguntamos se os textos devem ser curtos e enxutos, 55% disseram que não faz diferença e 45% disseram que sim. Quanto ao formato das notícias em geral, 60% preferem que sejam em forma de pequenas notas e 40% preferem que sejam grandes.

Em uma matéria online vale a pena colocar fotos com dimensões muito reduzidas? 60% dizem que sim e 40% acreditam que não. Quando questionados sobre se é válido colocar fotos frias ou genéricas para ilustrar matérias, 55% disseram que tanto faz; 40% fazem questão de imagens atuais; e apenas 5% acham realmente relevante usar fotos frias ou genéricas para ilustrar o texto.

A maioria dos entrevistados prefere ainda que os jornais online tragam mais notícias (65%) do que críticas (35%).

Para meditar

As últimas perguntas da pesquisa revelam respostas a questões altamente discutidas no cotidiano do meio jornalístico. A qualidade dos textos em internet é uma delas. 65% acham a qualidade dos textos online equivalente à dos veículos impressos; 30% acham pior do que a dos veículos impressos; e somente 5% consideram os textos em internet melhores do que os dos impressos.

Os sites de jornais devem ter todo o conteúdo que está presente na versão impressa? 65% dizem que sim e 35% acham que não, acreditando que as duas versões devem independer uma da outra.

Para finalizar, perguntamos se é certo um site deixar de noticiar um fato que ele julgaria importante só porque está relacionado a um concorrente. A grande maioria (80%) acha que não, mas 20% acreditam no contrário: a concorrência deve estar em primeiro lugar.

Como sugeriu o título, esta é apenas uma pequena pesquisa sobre o que os usuários brasileiros acham do cenário atual de jornalismo online. É certo que muitas coisas ainda devem ser discutidas, estudadas e aprimoradas. Mesmo assim, acreditamos que os números acima possam ser um positivo passo e um gerador de reflexões. Até a próxima!

*Mario Lima Cavalcanti é editor de conteúdo do JW.

Mario CavalcantiO jol no Brasil e no mundo